Categorias
Crédito Consignado

CMN acaba de limitar juros do Cheque Especial

O CMN (Conselho Monetário Nacional) divulgou ontem a limitação na taxa de juros do Cheque Especial. Antes, as taxas cobradas nessa modalidade eram, em média, de 300% ao ano, porém sem limite pré-estabelecido. Com este posicionamento do CMN, as taxas para essa linha de crédito passam a ter um limite de 151,80% ao ano e estará em vigor a partir de 06 de janeiro de 2020.

Há 2 objetivos com essa redução:

1.Corrigir a falha no mercado que essa modalidade de crédito causa: essa linha de crédito não favorece a competição entre bancos, visto que os juros são altíssimos e ainda assim as pessoas contratam o crédito;

2. Menos prejudicial para pessoas com menor renda.

Outras mudanças:

Portabilidade
O Cheque Especial foi incluso na portabilidade de crédito, ou seja, você tem a possibilidade de trocar essa dívida cara por outra mais barata (menor taxa de juros).

Tarifa
Para não causar um buraco orçamentário para os bancos, agora poderá ser cobrada uma tarifa em cima do valor que excede seu limite no Cheque Especial.

Explicando melhor: supondo que você tenha um limite pré-aprovado de R$500,00 no Cheque Especial, caso você solicite um valor maior que esse limite, poderá ser cobrada uma taxa de 0,25% no valor excedente. Essa tarifa poderá ser colocada em prática a partir de 01/06/2020.

Mas será que isso é suficiente para melhorar a vida do brasileiro?
Definitivamente, não! Se compararmos com outras modalidades de crédito, o Cheque Especial ainda está em desvantagem. Comparado ao crédito consignado, por exemplo, o limite estabelecido para o Cheque Especial ainda será cerca de 5x maior.

Certamente foi um grande passo para a equalização do crédito no Brasil, mas ainda há muito para ser feito.