Categorias
Controle Financeiro Organizando as Finanças

Como criar a sua reserva de emergência

Você já parou para pensar em como estará financeiramente daqui alguns anos? Para alcançar o tão sonhado bem-estar financeiro é preciso conhecer algumas ferramentas do mundo das finanças que vão te auxiliar no processo. A Paketá separou algumas dicas para te ajudar a criar a sua reserva de emergência!

  • Você já se perguntou o que é uma emergência? Parece óbvio, mas muitas vezes desperdiçamos nosso dinheiro com gastos supérfluos que dão a impressão de emergência, mas não são. Aquela despesa com o videogame, pedidos em deliverys, gastos com transportes são apenas alguns exemplos. Por isso, é importante que você determine suas prioridades e entenda quais são os gastos desnecessários que você pode evitar. Entender suas prioridades vai te ajudar a destinar parte de seu dinheiro para sua reserva de emergência, por isso toma um tempo para anotar quais são suas despesas essenciais e quais não são; entenda seu estilo de vida e o que você está disposto a abrir mão para obter sua reserva; e repare se você tem um estilo de vida que cabe em seu orçamento ou se está passando dos limites.
  • Lembre-se que não é preciso muito dinheiro para começar a investir em sua reserva de emergência. Com poucos reais você já consegue fazer uma reserva interessante que pode ser trabalhada ao longo do tempo. O ideal é que você consiga poupar o suficiente para cobrir 12 meses do seu custo de vida, mas se não for possível, comece com uma meta de 6 meses. 
  • Você já parou para pensar quais são suas reais prioridades? Faça uma reflexão e determine o que são seus objetivos, suas necessidades e seus desejos. Só assim você conseguirá focar e não desviar do caminho. A reserva de emergência serve, também, para te trazer uma tranquilidade e bem-estar em conseguir realizar seus principais objetivos sem se estressar com suas necessidades básicas. Por isso, em primeiro lugar, tire suas dívidas do caminho; escreva em algum lugar seus principais objetivos de vida; reflita sobre o tempo que levará para alcançar cada objetivo; marque o que você entende ser uma prioridade para você; exercite sua mente para cuidar da sua saúde financeira em prol de seus objetivos; e lembre-se que as escolhas de hoje vão refletir no seu amanhã.  
  • Será que a poupança é, de fato, a melhor opção? Guardar seu dinheiro é sempre importante, independente de onde você vá guardá-lo. Mas a poupança não irá trazer um bom retorno financeiro e fazer esse dinheiro multiplicar. De acordo com o aumento da inflação, o seu dinheiro não acompanha o preço dos produtos e isso pode te prejudicar. Você também pode perder a rentabilidade se retirar seu dinheiro em datas fora do previsto (aniversário da poupança). Por isso é importante pensar em outros formatos de aplicação, como o Tesouro Selic e CDBs, por exemplo. Procure conteúdos informativos na internet e nas redes sociais. Existem muitas pessoas falando disso no momento!
  • Afinal, por onde começar?! Revise suas despesas e elimine os gastos que não atendem suas prioridades; calcule o quanto você consegue reservar a cada mês para atingir seus objetivos; defina onde você guardará a sua reserva de emergência e continue estudando e se aperfeiçoando no assunto; teste até encontrar o melhor jeito para te auxiliar no controle das suas finanças (caderno, mensagem no WhatsApp, planilha, aplicativo); e sempre separe um tempo da sua semana ou do seu mês para rever sua situação financeira.