Introdução ao investimento

Módulo 4 – Perfil de investidor: entenda qual é o seu

Tá bom. Já sabemos quais são os cenários possíveis e os riscos a serem considerados. Mas qual é o seu perfil de investidor? Você sabe? 

Nesse módulo vamos te mostrar quais são os perfis de investidor e dar alguns exemplos para que você consiga determinar qual tipo é o seu! Vamos lá?

No mundo dos investimentos nós temos basicamente três tipos de perfis de investidor, que são:

 

1. Perfil conservador

2. Perfil moderado

3. Perfil arrojado/agressivo

Pelo nome já dá pra ter uma ideia do que se trata, certo? Mas vamos ver no detalhe o que entra em cada um desses perfis. 

Outro termo que usamos para caracterizar o perfil do investidor é o chamado “suitability”, que configura-se numa análise do perfil de cada investidor, possibilitando identificar as suas preferências pessoais e também suas expectativas de investimento, a fim de que esses pontos estejam alinhados na hora de investir. Ao responder perguntas básicas, como “qual sua tolerância ao risco” e “por quanto tempo deseja investir”, é possível apontar qual é o seu perfil de investidor.

 

O investidor de perfil conservador preza pela segurança em primeiro lugar. Por conta disso, ele prefere recorrer a investimentos com essa característica, ainda que estes tenham uma baixa rentabilidade. 

Entre esses investimentos estão os títulos públicos, que são considerados os mais seguros do país. Afinal, o próprio Governo Federal os garante. Alguns fundos de renda fixa com foco em títulos públicos também podem oferecer menos riscos

Existem também os títulos privados com liquidez, que contam com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Estes incluem a poupança, os CDBs (certificados de depósito bancário), as LCIs e LCAs (letras de crédito imobiliário e do agronegócio), entre outros.

Mercado de ações não é recomendado a esse tipo de investidor  Como se sabe, não há garantias dos valores aplicados e estão sujeitos à alta volatilidade/oscilações, por isso chamados de ativos de Renda Variável.

Entre os investidores conservadores e arrojados há um meio termo: o perfil moderado. Ele apresenta um equilíbrio entre o risco e a busca por melhor rendimento. Com isso, prefere não se expor tanto ao risco como o investidor arrojado, mas não se limitar tanto quanto o conservador.

Desse modo, é possível que o portfólio do investidor moderado tenha acesso aos mesmos produtos do perfil conservador e alguns investimentos de maiores riscos.  Contudo, é comum que haja um equilíbrio maior entre as alternativas de ambas as classes de investimento.

Os investidores de perfil arrojado – também chamados de agressivos – estão no outro extremo em relação aos conservadores. Eles aceitam melhor a volatilidade da renda variável. Se tiverem a possibilidade de obter uma boa rentabilidade, é comum que se exponham ao risco.

É importante que essa tolerância esteja associada ao maior conhecimento sobre o mercado e também a uma vida financeira estruturada. Por exemplo, mantendo uma reserva financeira em segurança, para não arriscar todo o patrimônio.

Assim, ser um investidor arrojado não significa aceitar correr qualquer risco. É importante fazer uma análise dos riscos e possibilidades de ganhos e manter uma boa gestão destes riscos para potencializar a rentabilidade – especialmente no longo prazo.

Curtiu?! Responde aqui e já vai para o Módulo 5 – Diversificação de investimentos